Comunismo 2

A Sombra Vermelha…

…CROÁCIA E VENEZUELA, O QUE TEM EM COMUM?

..

Massucatti Neto

..

Temos vistos nos jornais notícias sobre esses dois países, as manifestações, rebeliões, derrubadas de poder e a luta ferrenha de alguns ditadores em se manter no poder. Vemos nos dois casos o interesse da Rússia, berço e ainda capital mundial do comunismo e de Cuba irmã da primeira na fé vermelha, ultrapassando fronteiras e desrespeitando tratados e a autonomia desses países e afrontando o interesse do povo venezuelano e croata, esses dois dinossauros comunistas mandam além de apoio financeiro tropas para combater o povo.

A Rússia enfrenta até países como Estados Unidos e Inglaterra no melhor exemplo da guerra fria tal qual ocorreu no Vietnã, Coreia e Afeganistão entre outros conflitos, ela agora vem mais uma vez em socorro de ditadores, isso com apoio da China.

Comunismo 2

Alguns talvez se perguntem: Porque, se a URSS acabou, se o muro caiu e a democracia venceu? Ledo engano de quem pensa assim, os países da Europa oriental nunca estiveram livre da sombra vermelha e os líderes do países que outrora formavam a URSS sempre foram os indicados pela alta cúpula do Partido, na verdade esse foi o maior engodo e mais bem feito golpe dado pelo comunas, assim como dizem que o maior golpe do Diabo era fazer todo mundo acreditar que ele não existia, assim fizeram os vermelhos. Na época da guerra fria sabia-se bem, haviam dois lados, era fácil de perceber a ação dos comunistas, estavam eles cercados por um muro e suas atitudes eram facilmente percebidas quando atacavam os direitos humanos, era fácil se defender.

Percebendo que esse isolamento apenas fazia com que o plano de transformar o mundo numa grande União Soviética ficasse cada vez mais distante e com dificuldades econômicas claras para continuar o projeto, decidiram então o golpe do século:” Vamos fazer com que todos acreditem que o comunismo acabou. “E assim derrubando o muro, que mais servia como uma represa que ao se romper fez com que toda podridão fosse liberada para mundo, eles se tornaram a mais perniciosa e influente forma de governo paralelo em vários países do mundo.

Assim também fez a China, abriu suas portas à economia capitalista que eles tanto e por tanto tempo tiveram ojeriza, porém mantendo uma política comunista no tocante a desrespeitar os direitos do povo e das liberdades individuais, vemos nesse caso uma clara mostra do que é o comunismo, uma política em que o todo trabalha é em benefício dos privilegiados do partido, os quais enriquecem e gozam de todo conforto proporcionado pelo mundo capitalista.

O nosso governo além de ser parceiro “comercial” desses países voltados para essa infame forma de governo, ainda dá um claro e abjeto apoio às condutas nada democráticas desses dois países em conflito interno, que agem contrários ao interesse do povo, assim como fazem aqui no Brasil onde os políticos votam baseados em seus interesses particulares ou deturpados princípios sem ligar para a opinião pública.

Incorrendo no risco de parecer paranoico defensor da teoria da conspiração, digo que não podemos e não devemos nos calar ante os sinais da escalada do comunismo no Brasil, se não estaremos fadados a uma situação em nada diferente a dos países agora em conflito, ou subjugados sob uma forma opressiva e massificadora de governo ou em uma guerra civil onde muitos perecerão.

A sombra vermelha existe, agora mais nociva do que antes, ela cobre o mundo, a Rússia e a China são os braços do leste europeu e da Ásia, na américa do sul temos Cuba e assim com postos espalhados pelo mundo eles colocam em pratica seu plano, acabar com as democracias, destruir o individualismo do cidadão, impondo essa política do todo trabalhando pelo bem de poucos.

 

 

 

 

 

ostentação1

Rolezinho, Apenas uma Coisa, Falta de …

…EDUCAÇÃO!

..

Massucatti Neto

.. 

Vemos ultimamente um fenômeno ocorrer e causar uma infinidade de teorias, alguns chamando de desordeiros vagabundos, outros de filhos da desigualdade social, alguns denominam de apartheid social. Sociólogos, filósofos, religiosos, políticos e todo tipo de especialista de plantão explicam com propriedade os motivos que motivam os rolezinhos.

A maioria deles vive em seu universo particular, em seus condomínios fechados e protegidos entre os altos muros e segurança particular, blindados em seus veículos refrescados pelo ar condicionado com janelas fechadas, ou seja, perscrutam o mundo real como cientistas que observam bactérias através de seus microscópios, sendo fácil teorizar sobre o mundo que os cerca.

Eu da minha parte vivo o mundo real, moro no subúrbio, uso transporte público e diferente dos especialistas fui criado de pés descalços, brincando na rua exposto a toda forma de influência maligna, sem as bolsas federais ou programas de incentivo à cultura e lazer e vítima do trabalho infantil, em todos os sentidos um candidato a marginalidade.

À aqueles que afirmam que os rolezinhos são frutos da desigualdade social, falta de acesso aos bens materiais e lazer, assim sendo grupos de “jovens” se agrupam para “passear” nos shoppings de uma forma inocente e pueril é que pelo simples fato de serem da periferia e ofenderem o senso estético da classe média são escorraçados pelas forças opressoras da segurança pública, sendo esse o estopim para a resposta violenta desse jovens que desrespeitando a tudo e a todos quebram e saqueiam, inocentes vítimas do sistema. A esses exponho o seguinte:

Os governos atuais direcionaram milhões para projetos sociais como, bolsa família, nossa casa nossa vida, crédito para compra de bens de consumo, além de programas de incentivo ao acesso à educação acadêmica e cotas para as “minorias”, sendo claro que cada vez mais o Brasil é “um país sem miséria” como diz o slogan do governo. Portanto não há motivo para esse fenômeno rolezinho. Ou há?

Será que mais uma vez vocês especialistas vão querer nos fazer crer que, esse movimento é espontâneo, fruto das massas oprimidas e das classes operarias vilipendiadas e exploradas?

Mais uma vez vocês da mídia vão querer nos enfiar por goela abaixo que essa mobilização se deu porque jovens inocentes se conectaram marcando um “rolé” e no fim foi a classe média (que paga tudo para esses desocupados), que começou o embate? Faça-me o favor respeitem o mínimo da minha inteligência.

Logo descobrirão a verdade, assim como foi com aquela tal, como chamam? Essa fada Sininho que de fada não tem nada, logo vamos ouvir falar das infiltrações de grupos patrocinados e pagos para gerar o caos, e veremos jornalistas com caras de espanto e indignação comentarem apaixonadamente sobre isso. Tal qual falei em outras matérias (A voz do povo é a voz de Deus, Manifestações, Será nosso maio de 68 e Solidariedade a quem?) onde eu já vaticinava o que hoje se fala com espanto e indignação teatrais.

Vivemos em um período onde cada vez mais a vida e o patrimônio estão  desvalorizados, mata-se desde a esposa que quer separar até o vizinho que reclamou do som alto, os marginais fazem e acontecem sem medo e tudo porque sabem da impunidade, a lei nesse país não tem   efeito, as punições não geram o medo que deveriam, o próprio cidadão comum está cada vez mais violento, fazendo justiça pelas próprias mão, ou porque não teme a lei ou porque não aguenta mais a injustiça, portanto essa é a explicação para os atos de vandalismo dos rolezinhos, esses menores sabem que nada vai acontecer: “…so di menor…” falam com uma gramatica grotesca e um ar de enfrentamento. Aliás é praxe nesse governo patrocinar a falta de educação, o querido prefeito “Ratadd” disse que não vai reprimir os pancadões, segundo ele uma forma de manifestação cultural válida, então que seja feita na frente da casa dele, oras. Será que ele ouviu as letras e sabe o que rola, bebidas, drogas, prostituição, apologia ao crime e ao que mais baixo há nos instintos do ser humano, desvalorização e degradação da imagem da mulher.

Porque ao invés de apoiar isso ele não cria escolas em tempo integral, patrocina a produção de arte, valoriza o esporte, cria ambientes de lazer e principalmente…FAZ VALER A LEI!!!!!!! MEU DEUS!!! E COIBE ESSA MANIFESTAÇÃO NEFASTA!!!

O governo está fazendo um ótimo trabalho transformando nosso povo em animais, cada vez mais bestiais e sem princípios o povo está agindo de maneira violenta, se deixando levar pelos mais baixos instintos repito. Nossa juventude totalmente analfabeta, fala mal, escreve mal, essa política do sem reprovação é típica dos comuna, querem nivelar a sociedade, o mundo real é diferente, há confrontação, disputas, apenas os melhores e mais bem preparados vencem, sejam pessoas, empresas ou países.

Chega dessa hipocrisia de: coitados dos negros, favelados e pobres que não podem se misturar com as classes dominantes, chega dessa vergonhosa forma de campanha do conflito entre classes.

rolezinho-2 rolezinho-1

 

bolsonaro-2

“discordo do que você diz , mas defenderei até a morte o seu direito a dize-lo…”

* Frase atribuída a Voltaire

 

Massucatti Neto

..

Muitos classificam o Sr. Jair Bolsonaro de fascista, racista, homo fóbico, extremista de direita e coisas até inapropriadas de serem publicadas aqui, sei que por vezes ele se expos de forma contundente e por vezes até agressiva tornando-se um dos mais controversos e polêmicos políticos da atualidade. Entretanto em um mar de lama no qual se encontram as instituições ele teve a coragem muitas vezes de expor seu pensamento, por vezes fez com que esses comunas que infestam nosso parlamento se calassem e desafiou os poderosos a enfrenta-lo e a contestar seus argumentos sem contudo obter respostas.

A liberdade que é base da democracia entende que todos tem o direito de expor seus pensamentos e que nem sempre a minha verdade será a mesma que a do meu vizinho, tomando-se as devidas cautelas e cuidando-se para que as diferenças ideológicas não se transformem em ódio e perseguição (como ocorreu na Alemanha nazista), o fato dele ter um pensamento formado sobre a homossexualidade e ser totalmente contra a aceitação dessa condição ou opção, e ainda usar o direito a expor isso é democrático, é o uso da ferramenta democrática a liberdade de expressão.

bolsonaro

Vivemos em um tempo que se tem liberdade, um tempo onde você tem o direito a se expressar, contanto que seu pensamento esteja dentro dos parâmetros aceitos pela maioria ou pelo menos pelo poder vigente, pois afinal se você destoar do que rege o politicamente correto você será processado, cassado e até preso, tal qual foram os que não concordavam com o regime nazista, com os regimes soviéticos, chineses, coreanos do norte, cubanos e tal qual ocorre hoje com os opositores do Sr, Maduro.

Vivemos em um tempo nesse país cerceados pelo regime das minorias, tudo é ofensivo, tudo é agressivo, tudo é criminoso, pensar é perigoso, discordar é delito, hoje as pessoas pensam duas vezes a se exporem, a exporem seus pensamentos pois temem as repercussões. Ou vocês acreditam que apenas o Sr. Bolsonaro pensa daquela forma sobre os homossexuais? Claro que não. Não quero aqui fazer apologia a confrontação direta nem a qualquer forma de agressão, seja contra homossexuais, heterossexuais, negros, orientais, brancos, índios, judeus, loiros, morenos etc., etc., etc., não, não quero, o que quero é apenas lutar pelo direito que tenho de aceitar ou não algo e principalmente pelo direito a expor o que penso, sem medo da censura ou da repressão que hoje impera nesse país, ou como dizia Voltaire: “eu discordo do que você diz , mas defenderei até a morte o seu direito a dize-lo…”

Coisas muito mais absurdas são ditas constantemente nos palcos da política tupiniquim mas sem causar alarde, sem causar constrangimento, quem não se lembra a pouco tempo da deputada que disse achar legitimo que o cidadão menos favorecido furte levado pelo apelo consumista das propagandas, ela do PT devo salientar.

Resumindo sou contra a ditadura do politicamente correto, sou contra essa política que obriga que eu e outros aceitem as diferenças apenas por decreto, o que faz as diferenças acabarem é apenas uma coisa: EDUCAÇÃO DE QUALIDADE, LIVRE IRRESTRITA, SEM DIFERENÇAS RELIGIOSAS, RACIAIS OU IDEOLOGICAS, apenas isso será capaz de acabar com mais de 500 anos de preconceito, mas como isso não interessa a classe comunista, um povo esclarecido é difícil de controlar, eles então tentam acabar com o preconceito por decreto, a força, não pela consciência pelo esclarecimento, mas através de algo que interessa a eles, a luta de classes.

Melhorem as escolas, os currículos escolares, a qualidade e não precisarão de cotas raciais, de bolsas família, de nossa casa nosso teto, não precisarão de políticas do mínimo a quem é mínimo para eles, valorizem a mão de obra no Brasil, o salário mínimo.

Não sairia mais barato aos cofres públicos aumentar o salário mínimo ao invés de dar bolsa família, será que essa política não está fomentando a falta de interesse na população em fazer parte da classe produtiva, se tem dinheiro para bolsas e programas, porque falar em aumento real do salário mínimo causa tanto horror ao governo?

Sou sim contra as cotas, contra as bolsas, contra os programas, sou a favor de todos terem direitos iguais, direito a concorrerem de forma justa, direito a terem seus talentos e potencialidades colocados a prova, direito a poderem aproveitar o máximo de si mesmos, de darem o máximo de si, sou contra essa politicazinha socialista comunista de que todos são iguais, de que todos devem ser colocados no mesmo patamar. Não! Não podem! Somos diferentes, temos potenciais diferentes, talentos e disposição a atividade diferentes, a única coisa que deve ser igual é o direito ao acesso a uma educação de qualidade, o comunismo acaba com a personalidade do cidadão, acaba com o individualismo. Já imaginou um Van Gogh, um Einstein, um Vila Lobos, um Mozart em um regime que todos são iguais, não existiriam, a união soviética foi o maior laboratório de superatletas, queriam conseguir a todo custo criar os melhores, o nazismo também, no entanto na olimpíada sediada na Alemanha no período nazista, foi um negro o melhor atleta, ou seja não davam chance a liberdade, a expressão natural de seus cidadãos.

Sou a favor de poder concordar ou não com algo, de gostar ou não de algo, de expor de forma ponderada e racional a minha aversão a algo ou a alguma conduta, liberdade de exercer minha liberdade plena de expressão, pois isso é a única coisa que diferencia uma democracia de uma republiqueta comunista.

 

joaquim-barbosa

O Desabafo de um Justo

O Guerreiro Vencido

Massucatti Neto

                Vi o desabafo do ministro do Supremo Tribunal Federal, Vossa Excelência Sr. Joaquim Barbosa, e quando digo Excelência é porque ele merece esse título no contexto puro da acepção da palavra, ouvi suas palavras e vi em seu semblante a tristeza e a decepção que apenas os homens justos sentem, vi a vergonha em seu olhar característico daqueles que prezam seus princípios e seguem uma carreira por acreditar que esses princípios se alinham com a profissão escolhida, fazer justiça.

                Tal qual os guerreiros que após a batalha perdida, ao vislumbrar baixas sofridas e antever as perdas que ainda estão por vir, percebe que perdeu não pela força do inimigo mas pela fraqueza e covardia de seus aliados, e sofre só em meio à aqueles que sem ao menos demonstrar remorso ouvem com desdém suas verdades, se joga de joelhos ao chão e olha ao redor se sentindo impotente, assim fez Joaquim.

joaquim-barbosa

                Não falarei dos que votaram a favor desse ato injurídico, não por temor de represálias por serem quem são e aonde estão, mas porque não merecem nem a pronuncia de seus nomes, nomes que o futuro e a história tratarão de mencionar de forma adequada, não, não merecem, me aterei aqui a falar de e para o Sr. Joaquim, o justo.

                Como o discurso fúnebre proferido por Marco Antônio a mais de dois mil anos sobre Cesar, Joaquim não veio falar mal dos algozes da justiça, mas falar sobre a justiça, ele não veio para citar nomes mas para expor atos, veio Joaquim para alertar o povo sobre atos que virão, sobre tramas arquitetadas nos bastidores do poder, sobre golpes no estado de direito.

                Que esse homem simples, que não teve bolsa família nem tampouco cotas raciais e hoje se tornou o homem, o jurista e o justo, que pelo seus próprios meios se fez, seja ele o exemplo, seja ele homenageado, seja ele ovacionado e não os déspotas tiranos semianalfabetos (se não analfabetos sênior) que vomitam aos quatro ventos o seu valor e importância histórica como defensores do povo. Não… não são glorias pessoais que esse homem pede, nem benesses ou privilégios do estado que ele pleiteia, não… não é isso, o que ele pede, quase implora é ponderação para que seja feita justiça, apenas justiça no sentido mais amplo e indistinto da palavra, isonômica justiça, plena justiça.

                Quando ouço suas palavras não sinto revolta nem indignação, mas sinto a vergonha em suas palavras, vergonha por ter que olhar os algozes da justiça, que do alto de suas magistraturas se consideram intocáveis e intocados, pessoas que nada se preocupam com a opinião pública e se colocando acima da sociedade deliberam de forma arbitraria e tendenciosa, vergonha por ter que conviver com aqueles que derrotaram não o Joaquim, mas a justiça.

                Temo que após isso esse homem, o ultimo se não único bastião da justiça, desista e como os guerreiros da antiguidade pendure sua espada e escudo ao lado da lareira, escolhendo viver uma vida no ostracismo, que sentindo só ante esse mar de lama que hoje forma a sociedade e política brasileira, temo que forças além de seu controle o obrigue a isso calando a voz mais alta e seria daquela casa.

                Joaquim, atravessará o Rubicão? Como escrevi em outra matéria, será ele o Cesar da política brasileira? Talvez não pela sua característica mais forte, honestidade e senso maior de justiça.

                Meus parabéns Joaquim por suas palavras e assim como você compartilho seu luto pela morte e enterro da justiça nesse país.

suplicy-robin-hood

Conivência ou Incompetência?

Massucatti Neto

..

O que se esconde atrás do ar de bom moço?

..

                               A muito aprendi que quem convive com o erro ou é incompetente para combater o problema ou conivente com ele, digo isso pois a pouco tempo vi uma entrevista de um pseudo humorista que fazia a vez de um repórter, entrevistando vários políticos sobre o assunto: “presos políticos ou políticos presos do mensalão…” teve a sorte de entrevistar o quase beatificado Senador Suplicy. Em uma brincadeira comentou sobre o condenado José Dirceu ter também, assim como seu comparsa Genoíno, um problema de saúde a cleptomania, o senador mostrou indignação e rebatendo o “repórter” perguntava: quais provas você tem, onde o entrevistador rebatia dizendo: o STF. Assim transcorrendo a conversa o humorista enveredou para um lado mais ameno a brincadeira, pedindo para Suplicy mostrar seus dotes artísticos cantando.

suplicy-robin-hood

                               Antes de mais nada quero deixar claro que acredito piamente que o senador Suplicy é um político honesto, um dos poucos que existem, que sua conduta nesses anos legislando sempre foi ilibada e que nesse caso do mensalão assim como em outros nunca participou ou se beneficiou de qualquer forma. Ainda incorrendo no risco de cutucar um vespeiro, pois certos nomes entraram para a história como intocáveis, irrepreensíveis e quase santificados, nomes como Tancredo Neves, Mario Covas, Ulisses Guimarães e Eduardo Suplicy, os quais a simples menção ou crítica suscita represálias, o que quero questionar nesse artigo é:

A inercia de Suplicy ante a questão mensalão e a sua resistência em aceitar que o fato ocorreu e que seus camaradas de partido foram julgados e condenados pela lei, em um processo legitimo dentro de princípios democráticos.

                               O mensalão foi um processo que atingiu vários políticos dentro e fora do PT, durante um longo período não foi algo feito às escondidas, apenas não havia sido denunciado, para manter esse processo necessitava de uma estrutura muito complexa envolvendo várias pessoas e instituições, algo assim para um observador atento seria fácil de ser percebido, afinal as paredes dos escritórios de Brasília não assim tão grossas e a prova de som, nem nossos políticos são tão discretos e cometidos em seus comentários pelos corredores, acreditam sempre na impunidade de seus atos.

                               O senador Suplicy sempre teve em seu currículo a fama de ser combativo contra a corrupção e delator de atos escusos, pelo menos de outros partidos, quem não se lembra de seu antológico ato de dar um cartão vermelho para o senador Sarnei ante as denúncias arquivadas contra ele, quem não se lembra de seu choro ao assinar o abaixo assinado para CPI que desvendaria esquemas de corrupção no governo Lula e o apoio que deu aos dissidentes do PT que vieram a fundar o PSOL, ou seja, uma carreira marcada pelo inconformismo e combatividade com o erro e a corrupção.

                               Com uma personalidade atípica e estilo inconfundível, é senhor de uma calma e modos serenos quase de um monge Zen, tomando atitudes fora dos padrões convencionais de um legislador por vezes pede a palavra para então declamar letras de músicas dos racionais ou cantar músicas de Vinicius. Prolixo em seus longos discursos os torna mais enfadonhos por ter uma oratória lenta e extremamente pausada, é possível ver vários de seus pares em sono profundo ou com total desinteresse ao assunto por ele exposto.

                               Por essas e outras características Suplicy é um senador impar também com uma honestidade impar para os moldes da política brasileira atual. Por isso é estranho que durante esse período em que ocorreu o mensalão ele não tenha percebido o que acontecia e mesmo depois da denúncia de Jeferson e julgado pelo STF, ele ainda teime em dizer que não há provas. Será que sua percepção foi embotada pela ideologia ferrenhamente por ele protegida e nosso senador não teve competência para perceber o que ocorria ao seu redor em seu partido, mesmo ele sendo fundador ativo e fazer parte da cúpula do PT? Ele nunca percebeu nada?

                               Ou será que em defesa de uma ideologia, seguindo a cartilha vermelha que rege os partidos de esquerda ficou à margem do assunto, preferiu não ver, escolheu não acreditar, seguindo as orientações da cúpula petista?

                               Ser fiel a uma ideia é muito admirável, mas quando vejo que o grupo em que me filiei já não apresenta os ideais que acredito é mais admirável buscar outros caminhos, o PT não é mais o que era a vinte anos, ou pelo menos agora no poder ele mostra verdadeiramente ao que veio, Heloisa Helena quando percebeu isso não titubeou e com risco político de sua carreira deixou as fileiras petistas. Não seria a hora do idôneo senador perceber isso e buscar novos caminhos?

                               Correndo o risco de macular sua carreira mantendo-se em um partido envolto em tantos escândalos, o senador faz o ar de bom moço sendo, talvez, o melhor do PT no que diz respeito a postura, trabalho e honestidade. Entretanto ele sabe do projeto de perpetuação do governo petista seja a qual custo for, ele conhece por dentro as artimanhas usadas pelos cabeças do PT e seu ideal de um pais regido pelo comunismo, ele crê nisso e por isso ainda se mantem no PT. Acreditarmos que o senador Suplicy desconhece o que ocorre nos bastidores da política do país e de seu partido, seria ingenuidade, seria achar que o senhor Eduardo é um rapaz inocente, puro e besta, como diz a música de Raul Seixas.

                               Torno a repetir, não acredito que o senador de alguma forma se beneficiou diretamente do escândalo mensalão, nem tirou proveito particular do assunto, acredito que Suplicy tem fundamentos de uma pessoa honesta, mas quem é omisso ante o erro ou é conivente com a coisa errada ou é incompetente.

                               Ante as provas do mensalão ele é qual dos dois?